sexta-feira, 31 de julho de 2009

Punição a prazo e a reposição de aulas mais imbecil de todos os tempos

Eis a nota oficial do governo sobre a greve, as punições e as reposições de aulas:


Conforme a posição do Governo do Estado de retomar imediatamente as negociações com o Sintepe tão logo fosse finalizada a greve da educação, realizou-se nesta manhã (31) uma reunião que contou com a participação do secretário de Administração, Paulo Câmara, do secretário de Educação, Danilo Cabral e da diretoria do sindicato. No encontro, ficou acertado que será priorizada a discussão dos itens não financeiros da pauta de reivindicação da categoria tendo, inclusive, constituído comissões temáticas que já se reúnem nos próximos dias.
.
A categoria também pleiteou a revogação das medidas administrativo-disciplinares adotas no período da greve - que foi decretada ilegal pela justiça -, além da suspensão dos descontos dos dias não trabalhados. Em resposta, a Secretaria de Administração (SAD) ratificou o teor da portaria conjunta SAD/SE nº. 66, de 8 de julho, com uma série de medidas que foram adotadas para assegurar o retorno do semestre letivo e garantir o direito constitucional do alunos aos duzentos dias letivos.
.
Assim, fica mantida a apuração de casos relacionados aos servidores ocupantes de cargos de direção escolar; lotados em escolas de referência e com contratos temporários, como também o desconto. Para esse item, o Governo se propõe a realizá-lo de forma escalonada nos meses de julho, agosto, setembro, outubro e novembro para que o servidor não sofra o impacto em uma única vez.
.
REPOSIÇÃO - A Secretaria de Educação vai publicar no Diário Oficial da próxima terça-feira (04) as recomendações e diretrizes para que as escolas apresentem às Gerências Regionais o seu calendário de reposição dos dias parados. A partir da publicação, as unidades terão 10 dias para propor o calendário que será obedecido pelos professores temporários, contratados pelo Estado no período da greve. Hoje, 650 profissionais contratados já estão nas escolas. Outros 1000 que foram aprovados na última seleção simplificada também vão chegar à rede estadual e serão distribuídos de acordo com a necessidade das escolas.
.
BALANÇO - Na última quarta-feira (29), o Governo do Estado realizou o pagamento dos servidores ativos da Secretaria de Educação. Foram pagos os salários de cerca de 37 mil servidores e aproximadamente 3.500 tiveram os pontos cortados e só receberão no dia 5 de agosto.

Os Revolucionarios também amam

Este pequeno ensaio tem por objetivo proporcionar uma reflexão sobre a concepção antrológica do amor em Marx e a sua relação com a luta dos trabalhadores em educação de Pernambuco. A princípio pode causar um certo estranhamento para aqueles leitores, estudiosos e simpatizantes do Marxismo, ou melhor, de um tipo de marxismo restrito ao aspecto puramente economicista. Marx e amor? è possível encontrar alguma referência ,nos textos deste filósofo e teórico , no que se refere a uma concepção antropológico do amor? Existe no itinerário intelectual do jovem Marx espaço para influencias romanticas em seu pensamento científico e positivistas? E por extensão, podemos identificar na luta e reivindicação dos trabalhadores e trabalhadoras em educação de Pernambuco pressupostos deste aspectos amoroso defendido por Marx?

A príncipio gostaria de esclarecer aos leitores e leitoras deste blog, que consultei dois livros de Karl Marx ( Manuscritos econômico-filosóficos e a sagrada familia), assim como Um livro escrito por Leandro Konder, filósofo marxista ( Sobre o amor ) da editora boitempo e o livro de um dos biógrafos de Karl Marx, o francês Pierre Durand, La vie amoureuse de Karl Marx( a vida amorosa de Karl Marx), na qual este autor narra a vida íntima e amorosa deste pensador e sua esposa Jenny Marx, nos mais de 40 anos que eles estiveram juntos, sendo separados apenas pela morte de Jenny em dezembro de 1851.

A aproximação de Marx à causa da classe operária não foi uma adesão puramente iluminista. Segundo Marx, " a fraternidade dos homens não é nenhuma frase(teoria), mas sim verdades para eles, e a nobreza da humildade nos ilumina a partir dessas figuras endurecidas pelo trabalho. " ( pag. 146 - 2005 ) Ou seja, o grande pensador, pouco compreendido, emocionou-se com a situação de exploração dos operários franceses, esta emoção incentivou a reflexão teórica de Marx. Uma das grandes indignações deste pensador com a civilização capitalista esta em seu aspecto extremamente individualista, esgoísta e mercadológico, que transforma todas as relações humanas em um moeda de troca, uma verdadeira mercantilização dos sentimentos humanos.
Para Marx, em seu livro Manuscritos econômico-filosóficos, afirma que " a dominação da essência objetiva em mim, a irrupção sensível da minha atividade essencial é a PAIXÃO. ( 113).
Esta paixão em Marx, não pode ser confundido com o conceito do psicologismo freudiano de amor arrebatador e irracional dos adolescente, mas uma paixão tranformadora e emancipadora da classe operária, um amor que une e provoca alegria nas relações humanas, um amor que não aceita nenhum tipo de opressão, entre patrão e operário e nem entre homem e mulher. Para marx, o amor só pode ser trocado pelo amor, a confiança pela confiança não como uma mercadoria de uso e troca, típico da lógica capitalista.
Na Sagrada Família, Marx contestou os críticos do amor, que tratavam este sentimento com uma verdadeira criancise e limitava-o a mera secerção seminal( ereção, penetração e ejaculação). De fato Marx vivia o que pensava. Sua paixão pela luta política possuia a mesma intensidade pelo amor que nutria por jenny, sua amada esposa, do qual teve seis filhos, tres meninas e tres meninos. Marx lutou a vida inteira pelo afeto de sua mulher, chegando a afirmar, que " .. não era o amor pelo prolétariado, mas o amor pela amada( no caso, por ti )- tornar a fazer do homem um homem." Marx sintia-se um homem na medida em que vivia a grande paixão, tanto pelos oprimidos como e principalmente pela sua amada e querida esposa.
Este pequeno texto, nos levar a refletir sobre o amor dos trabalhadores e trabalhadoras em educação de Pernambuco, que resistiram 24 dias de perseguições, mentiras, punições e ameaças de um Estado que elegeu como sua prioridade de governo o amor ao poder e não o poder do amor. Dedico este pequeno ensaio a todos que acreditam, como Marx lutou toda sua vida, no poder revolucinário do amor, que humaniza as relações sociais, que transforma o homem e a mulher em seres humanos e não em coisas, objetos, moedas de uso e troca. Neste sentido somos utópicos, por não aceitarmos um modelo de civilização que prioriza o lucro e não as pessoas e anunciamos que um outro tipo de civilização é possível, onde o conceito de amor defendido por Marx seja a essência e lógica desta nova civilização, em que o amor aos nossos companheiros e companheiras seja a mola mestra de nossas relações.
Por fim , temos que defender esta dialética da totalidade, entre o todo e as partes, em que o amor a classe também se estenda no amor aos nossos e nossas companheiras, não importando o o modelo de relações, hetero ou homo, temos que cuidar muito bem do nosso amor, seja quem for. Demonstramos ao Estado e seus aparelhos burocráticos ( imprensa, tv, rádios,justiça, poder legislativos, militares), que enquanto tivermos paixão pelo que fazemos , continuaremos a lutar por um mundo melhor. E a luta continuará sempre, dentro e fora da escola. Por isto afirmo que os revolucionários também amam e lutam com paixão, contra toda forma de poder destruidor e que embrutece as pessoas, causando-lhes dor e sofrimentos, opressão e depressão. Então,batemos palmas para eles e para elas, os verdadeiros responsáveis pela educação em nosso estado, os PROFESSORES E PROFESSORAS do Estado de Pernambuco.



Bibliografia:


1- Karl Marx , Manuscritos econômico-filosóficos ( trad. Jesus Ranieri, São Paulo, Boitempo. 2005).
--------------, A Sagrada Família ( trad. Marcelo Backes, São Paulo, boitempo, 2003)
2- Pierre Durand, A vida amorosa de Karx Marx , Paris, julliard, 1970
3- Leandro Konder, Sobre o amor, São Paulo, boitempo, 2007

Comissão e governo


Em reunião com o governo agendada para hoje(30 /07) às 9h e a comissão de negociação, discutiu-se o pagamento dos dias parados e a anulação de outras punições (suspensão dos contratos temporários, demissão de um funcionário que aderiu a paralisação e era lotado em Centro de Referência, etc.).
Em relação a questão financeira da pauta de reivindicação, Paulo Câmara que responde pela Secretaria de Administração e agora também, pela Secretaria de Educação reafirmou o posicionamento do governo em só discutir esse ponto após a conclusão do balanço financeiro das contas públicas e as ocorrências verificadas no 2º quadrimestre desse ano.
Retomado o calendário de atividades, os assuntos pedagógicas da pauta ficarão para agosto, dia 5 às 9 horas na Sec.de Adminitração, serão discutidos pontos que tratam da perda da gratificação dos profissionais dos Centros de Referências quando no gozo de licenças, cláusula sexta e, a décima primeira que, visa assegurar o direito garantido por lei da concessão e gozo de lecença prêmio, no período solicitado.
Em 12 de agosto acontecerá nova reunião com a comissão e, os assuntos abordadas na ocasião serão o programa Professor Conectado (sem internet), a reformulação do Plano de Cargos e Carreiras, a convocação dos concursados, a redução do número de alunos por turmas, as eleições diretas para direções de escolas entre outros.
Sobre os assuntos discutidos na reunião da manhã, o secretário de adminitração disse ter encontro marcado com o governador às 15 horas de hoje, que levaria as questões ao conhecimento do mesmo e daria resposta ao Sindicato (SINTEPE) ainda hoje.
Pela indisposição do governo em discutir agora a questão financeira da pauta, deixando este exercício apenas para o segundo quadrimetre, é bem provável que este ano de 2009 a nossa categoria não veja em seus contra cheques reajuste salarial algum, o governo vai ganhar tempo, o final de ano será marcado por enfadonhas reuniões que se arrastarão até 2010, ano das eleições para governo do Estado.
O secretário de educação Danilo Cabral estava presente à reunião porém, pouco expressivo, limitou-se a fazer acrescimos à fala de Paulo Câmara. Aproveitei a ocasião para quetioná-lo sobre do uso dos cronômetros em sala de aula, da "qualidade" da aula que estava sendo ministrada pelos professores substitutos, e das baixissímas remunerações pagas aos trabalhadores em educação, inclusive mostrei-lhe meu contra cheque com valor R$ 546,69 no qual subtraindo-se o percentual pago pela especialização, recebo 1 salário mínimo.
Para o problema do cronômetro, o secretário disse estar aberto para conversar com o sindicato em outra ocasião, quanto aos salários e a discutida qualidade da aula dada pelos professores substitutos, este, apenas acenou com a cabeça...

ASSEMBLEIA SINTEPE

SEGUNDA (03 de AGOSTO) às 9 horas na quadra do IEP

quarta-feira, 29 de julho de 2009

É LEGAL FAZER GREVE!

A greve é uma atitude tomada por uma categoria, quando todas as tentativas de negociação são esgotadas. Ou ainda quando os canais de negociação são fechados. Atentem para a palavra LEGAL usada no título deste artigo, pois a ambigüidade neste caso é intencional.

Greve não é coisa boa de fazer por conta dos riscos que temos de assumir. Mas, não é uma atividade ilegal, pois a Constituição Federal nos garante este direito.

Ilegal é mascarar o salário do professor da rede pública estadual, uma vez que já foi provado e comprovado que continua sendo o pior do Brasil.

Ilegal é o professor trabalhar sem ter direito a um lazer, pois o que ganha como salário serve apenas para pagar os compromissos financeiros.

Ilegal é um professor não poder nem adoecer, pois os diretores de escola foram orientados, a informar que mesmo apresentando um atestado médico, ele terá de repor aquela aula.

Ilegal é transferir o atendimento eletrônico do SASSEPE, o tal 0800 para São Paulo e eu morador da região metropolitana de Recife, ter de agüentar uma pessoa me convencer que a clínica mais próxima de minha casa, para o qual solicitei atendimento fica em Carpina.

Ilegal é superfaturar um notebook ao preço de R$ 2.300,00 reais em dezembro de 2008 e saber que este mesmo aparelho, poderia ser adquirido nesta mesma época por menos de R$ 1.000,00.

Ilegal é ter tantas escolas que passam o ano inteiro sem ter professor de matemática, física e química e de repente, aparece dinheiro para contratar estagiários e professores com contrato temporário deixando de lado os professores aprovados no último concurso promovido pela Secretaria de Educação.

Diante de tanta coisa ilegal, só mesmo parafraseando Augusto dos Anjos, quando ele fala que “a mão que afaga é a mesma que apedreja”. Eu vos direi então: O professor que antes te elegeu é o mesmo que vai deixar de votar em você.

Uma comparação importante

.
Pernambuco administra um montante de repasses do FUNDEB mais de 3,5 vezes superior ao total destas verbas em Alagoas (de acordo com a Secretaria do Tesouro Nacional). O PIB pernambucano também é superior ao de Alagoas numa proporção equivalente aos 3,5 vezes (segundo o IBGE). A estrutura de nossa dede pública estadual de ensino também é maior que a alagoana nesta mesma proporção (conforme informações obtidas através da imprensa eletrônica). A comparação é importante para situar melhor o absurdo da baixa remuneração dos professores em Pernambuco, pois um professor pernambucano recebe um salário inicial equivalente a menos da metade do que é pago em Alagoas. E vale salientar que os professores alagoanos estão mobilizados em uma greve reivindicando melhores condições de trabalho e melhorias salariais!

Quase clones


PROFESSOR - UMA ESPÉCIE EM EXTINÇÃO

Por Verônica Dutenkefer
.
Esse texto que escrevo precisamente agora é mais um desabafo.
.
Desabafo de uma profissional que está lecionando há mais de 22 anos e que não sabe se sobreviverá por mais dez anos, que é o tempo que ainda precisarei trabalhar (por mais que ame muito o que faço).
.
Trago comigo muitas perguntas que não querem calar. E talvez a mais inquietante é: O que será necessário acontecer para se fazer uma reforma educacional neste país?
.
Constantemente ouço ou leio reportagens com as autoridades educacionais proclamarem a má formação de seus professores. Culpando as universidades, a falta de cursos de formação e culpando-nos evidentemente.
.
Se a educação neste país não vai bem só existe um culpado: o professor.
.
E aí vem meus questionamentos:
.
Como um professor de escola pública pode fazer o seu trabalho se ele precisa ficar constantemente parando sua aula para separar a briga entre os alunos, socorrer seu aluno que foi ferido por outro aluno, planejar várias aulas para se trabalhar os bons hábitos na tentativa vã de se formar cidadãos mais conscientes e de melhor caráter?
.
Nos cursos de formação nos é passado constantemente a recusa de um programa tradicional e conteudista, mas nossas avaliações de desempenho das escolas, nossos vestibulares e concursos públicos ainda são tradicionais e nos cobra o conteúdo de cada disciplina.
.
Como pode num país....num estado...num município haver regras tão diferentes entre a rede particular e pública?
.
Na rede particular as escolas continuam conteudistas, há a seriação com reprovação, a escola pode suspender ou até mesmo expulsar um aluno que não esteja respeitando as regras daquela instituição.
.
A rede pública vive mudando o enfoque pedagógico (de acordo com o partido que ganhou as eleições), é cobrado cada vez menos do aluno, não se pode fazer absolutamente nada com um aluno indisciplinado que até mesmo coloca em risco a segurança de outros alunos e funcionários daquela instituição.
.
Dia a dia...minuto a minuto... os professores são alvos de agressões verbais e até mesmo física pelos alunos. A cada dia somos submetidos a níveis de stress insuportáveis para um ser humano.
Temos que dar conta do conteúdo a ser ensinado + sermos responsáveis pela segurança física de nossos alunos + sermos médicos + enfermeiros + psicólogos + assistentes sociais + dentistas + psiquiatras + mãe + pai ......
.
E quando ameaçados de morte e recorremos a uma delegacia pra fazer um boletim de ocorrência ouvimos: "Isto não vai adiantar nada!"
.
Meus bons alunos presenciam o mal aluno fazendo tudo o que não pode ser feito e não acontecendo nada com ele. É o exemplo da impunidade desde a infância.
.
Meus bons alunos presenciam que o aluno que não fez absolutamente nada durante o ano, passou de ano como ele, que se esforçou e foi responsável.
.
Houve um ano que eu tinha um aluno que era muito bom. E ele começou a faltar muito e ir mal na escola. Os colegas diziam que ele ficava empinando pipa ao invés de ir pra escola. Um dia, tive uma conversa com ele, e perguntei o que estava acontecendo? E ele me disse: "Prá que eu vou vir prá escola se eu vou passar de ano mesmo assim?"
.
Então eu procurei aconselhar (como faço com meus alunos até hoje) que ele devia freqüentar a escola, não para tirar notas boas nas provas ou passar de ano. Ele deveria vir a escola para aumentar seu conhecimento que é o único bem que ninguém poderá roubar.Que a escola iria ajudá-lo a aprender e trocar conhecimentos com os outros e ajudá-lo a dar uma melhor formação na vida.
.
Depois dessa conversa ele não faltou mais tanto...mas nunca mais voltou a ser o excelente aluno que era.
.
Qual a motivação de ser bom aluno hoje em dia?
.
Seus ídolos são jogadores de futebol que não falam o português corretamente e que não hesitam em agredir seus colegas jogadores e até mesmo os árbitros. Ensinando que não é necessário haver respeito as autoridades e aos outros.
.
Ou são dançarinas que mostram seu corpo rebolando na televisão e pousando nuas para ganhar dinheiro.
.
Para quê eu me matar de estudar se há tantas profissões que não são valorizadas e nem respeitadas?
.
Conheci (e ainda conheço e convivo) ao longo de minha carreira na escola pública, inúmeros profissionais maravilhosos. Pessoas que amam a sua profissão, que se preocupam com seus alunos, que fazem trabalhos excepcionais. Que possuem um conhecimento e formação excelentes, mas que estão desgastados e quase arrasados diante da atual situação educacional. Li a poucos dias num artigo que os cursos de filosofia, matemática, química, biologia e outros todos ligados a área de magistério não estão tendo procura nas universidades.
.
Lógico!Quem é que quer ser professor?
.
Quem é que quer entrar numa carreira que está sendo extinta, não só pela total desvalorização e desrespeito, mas também pela falta de segurança que estamos enfrentando nas escolas.
.
Fiquei indignada com uma reportagem na TV (que aliás adora fazer reportagens sensacionalistas colocando o professor sempre como vilão da história) em que relatava que numa escola um aluno ameaçava os outros com um revólver e num determinado momento o repórter perguntou:"Onde estava o professor que não viu isso??!!"
.
E agora eu pergunto: "O que se espera de um professor (ou de qualquer ser humano), que se faça com uma arma apontada pra você ou pra outro ser humano??? Ah...já sei...o professor deveria enfrentar as balas do revólver!!!! Claro!!! As universidades e os cursos de aperfeiçoamento de professores não estão nos ensinando isso.
.
Vocês tem conhecimento de como os professores de nosso país estão adoecendo????
.
Vocês sabem o que é enfrentar o stress que a violência moral e física tem nos submetido dia a dia?
.
Você sabe o que é ouvir de um pai frases assim:
"Meu filho mentiu, mas ele é apenas uma criança!"
"Eu não sei mais o que fazer com o meu filho!"
"Você está passando muita lição para meu filho, e ele é apenas uma criança!"
"Ele agrediu o coleguinha, mas não foi ele quem começou."
"Meu filho destruiu a escola, mas não fez isso sozinho!"
.
Classes super lotadas, falta de material pedagógico, espaço físico destruído, violência, desperdício de merenda, desperdício de material escolar que eles recebem e, muitas vezes, não valorizam (afinal eles não precisam fazer absolutamente nada para merecê-los), brigas por causa do "Leve-leite" (o aluno não pode faltar muito, não por que isso prejudica sua aprendizagem, mas porque senão ele não leva o leite.)
.
Regras educacionais dissonantes de acordo com a classe social dos alunos.
.
Impunidade.
.
Mas a educação não vai bem, por causa do professor.
.
Encerro esse desabafo com essa pergunta que li a poucos dias: Essa pergunta foi a vencedora em um congresso sobre vida sustentável."Todo mundo pensando em deixar um planeta melhor para nossos filhos... Quando é que pensarão em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

Civilização ou Barbárie?

Estamos diante, efetivamente, de dois modelos de civilização, cultura e consequentemente de educação. De um lado, o Estado( visto por Santo Agostinho. como um bando de ladrões reunidos em torno repressão) de Pernambuco, que se torna o arauto de uma civilização caracterizada pela vigilância e punição aos movimentos sociais, reeditando a atitude política no Brasil durante toda a primeira república( 1889-1930) de que as questões sociais deveriam e devem ser tratadas como caso de polícia. Uma outra caracteristica deste modelo de civilização imposto por nosso governo( que se diz socialista), refere-se a uma postura filosófica e teórica conhecida como INDIVIDUALISMO METODOLÓGICO. O individualismo metodológico, é uma corrente de pensamento que gira em torno de uma teoria econômica que privilegia a competitividade( BDE-Política de premiação- espécie de operários-escolas padrões) e consequentemente o mercado e os lucros da empresa em detrimento do trabalho e dos trabalhadores. Um dos grandes economistas e filósofos deste modelo de civilização, foi sem dúvida alguma, o escocês ADAM SMITH ( 1723-17900) . Para ele , o indivíduo, movido por seu próprio interesse, era responsável pela riqueza da nação. Esta tese serviu e serve de base para este modelo de civilização e educação em nosso estado, marcado pelo individualismo e desmantelamento dos movimentos sociais e populares.
Uma outra concepção alternativa ou melhor, oposta a este modelo de civilização e educação é a concepção produzida, pensada e sistematizada por Karl Marx. Para este autor, a essência humana reside nas relações sociais de maneira dinâmica e histórica ( teses contra Feuerbach- 1845). A civilização e educação devem ser pensada agora, além do capital e de seus valores e mecanismos de perpetuação do poder, entre eles a própria escola, que tem servido como espaço de disciplinamento e alienação de nosso alunos e professores. É preciso compreender que esta concepção marxista, baseada nas relações sociais, afirma que o que esta em jogo, não é a crise dos bancos, das industrias, da regulamentação do mercado, etc, mas é a crise de um modelo de civilização baseado na lógica do capitalismo, dos valores individualisata, do lucro e da competição.
Defender uma educação além do capital, é abraçar uma pedagogia que liberte os seres humanos de todo tipo de opressão e alienação imposto pelos aparelhos idéológicos do estado burguês( industria cultural de modo geral), é ser utópico, no sentido freiriano( Paulo Freire) que assevera, no seu livro PEDAGOGIA DO OPRIMIDO, que uma atitude utópica é caracterizada pela denúncia de todas as formas de injustiças e alienação impostas pela civilização burguesa e pelo anúncio de um outro tipo de civilização de uma sociedade sem oprimidos e opressores, onde a educação seja efetivamente um espaço de reflexão e alegria, e não de alienação e opressão-depressão dos professores e alunos.
Eis aí os dois modelos de civilização e educação, um defendido pelo Estado de Pernambuco, que se diz socialista na teoria e neoliberal na prática, incentivando valores burgueses e uma metodologia antidialógica na condução das questões sociais, características de regimes fascistas e nazistas e um outro modelo de civilização que prioriza as relações sociais ( marxistas) e uma atitude dialógica, não um diálogo com a opressão e seu arautos, mas que busca a união de todos os oprimidos. A grande questão é, de que lado estamos? Que tipo de civilização e educação queremos efetivamente construir? Acredito que um outro modelo de educação e civilização é possível, eis aí minha utopia.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Desembargador mantém decisão da suspensão da greve dos professores

Do JC Online
O desembargador Fernando Cerqueira manteve, na tarde desta terça-feira (28), a decisão do juiz da Terceira Vara da Fazenda Pública, Djalma Andrelino Nogueira Junior, que pedia a suspensão imediata da greve dos professores da rede estadual sob a pena de uma multa diária de R$ 20 mil, caso a categoria não retorne às atividades.
.
A partir de agora, o processo vai ser enviado ao Governo do Estado que tem um prazo de 20 dias para se pronunciar e depois deve ser analisado pelo Ministério Público de Pernambuco. Depois disso, o processo volta ao Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) para ser julgado o mérito pela 7ª Câmara Cível.
.
A contestação da decisão do juiz Djalma Andrelino, concedida no dia 9 de julho, foi feita pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe) na tarde dessa segunda-feira (27). A categoria está em greve desde o último dia 6.

SERIA A ESPERANÇA NA EDUCAÇÃO DE PERNAMBUCO, UMA UTOPIA?

Embora, eu possua apenas 28 anos, nunca vi tanta injustiça, assim como falta de respeito ao servidor público estadual como se nota no atual cenário de Pernambuco. Em ano pré-eleitoral, o governo de Eduardo Campos demonstra claramente qual a linha de relacionamento utilizada para o “diálogo” com seus servidores, a da indiferença. Não! Não! Que ingenuidade a minha! Todos sabem, principalmente, os que são servidores públicos estaduais, em especial, os da educação, de que a mais preferida e que fornece resultados de imediato é a atual prática do assédio moral.

Vejo diariamente em torno de 90% dos colegas professores, angustiados, deprimidos, sem vida social, sem espaço para suas famílias, tudo por quê? Cadernetas absurdas de serem preenchidas com dados e informações cada vez mais específicos, sendo assediados por técnicos da secretaria de educação, isso quando não são assediados moralmente por seus gestores que em alguns casos, às vezes podem até parecer para alguns, meras marionetes do governo! Então pergunto, onde está a comunidade escolar, suas vontades, seus questionamentos e reinvidicações? Onde esta a autonomia das unidades de ensino, diante de tudo isso que sentido tem uma gestão democrática e autnoma dentro das escolas? mas o que o governo faz? divulga nos jornais de circulação do estado, de que a Educação está avançando, de que todos os estudantes têm acesso à merenda de qualidade, assim como todos possuem os livros didáticos necessários, mas será mesmo isso 100% verdade?

Com relação à mídia pernambucana, cada vez mais me decepciono, pois a cada dia se torna mais claro para mim, de que não são imparciais e muito menos não estão preocupados com a verdade a ser dita e explanada a população, que o governo insiste em colocar contra os professores. Até onde sei, os jornais de Pernambuco estavam praticamente falidos, percebia-se facilmente isso, pois se era muito comum ver que os jornais em si, não passavam das mãos dos gazeteiros ou das bancas de revistas, entre outros indícios de falência, o governo estratégico como nem um outro, o que fez “beneficiou” todos os professores com uma e em alguns casos, duas assinaturas diárias desses jornais (conheço colegas com duas assinaturas), mas o que está por trás de tudo isso?

É óbvio de que os jornais, com alguns de seus jornalistas descompromissados com a verdade e a imparcialidade, como o caso do jornalista Fernando Castilho, colocam o governo sempre em um pedestal, caso contrário seus empregos estarão ameaçados. No último dia 12 de Julho, o Diário de Pernambuco divulga que o Governo de Eduardo Campos tem aprovação de 74% da população, mas fica a pergunta que população? Um universo de quase 2550 pessoas entrevistas! Então pergunto, o que são 2550 pessoas comparadas com 8 milhões de pessoas em todo estado (segundo dados atuais do IBGE)? Aproximadamente 0,03% de toda população!
Conclusão: Mais uma reportagem tendenciosa, divulgada dois dias após a grande mobilização ocorrida no centro da cidade do Recife no último dia 10 de Julho de 2009, objetivos: Iludir a população e enaltecer mais uma vez o governo do estado! Por que, mesmo? Qual é mesmo o vínculo dos jornais pernambucanos como governo do estado de PE? Não! Não! Que ingenuidade a minha!

A imprensa em geral, ainda acha ruim, quando o governo federal (governo de Lula) quer estabelecer um tipo de censura a este tipo de organização. Logo, vem à pergunta: “Onde fica a liberdade de impressa e de expressão?” Mas me pergunto que liberdade é essa que só beneficia um dos lados, aqui em Pernambuco? Por isso, que o governo federal, passou a não mais considerar tão relevante um diploma no curso de Jornalismo, e faz até certo sentido, pois para escrever o que alguns jornalistas escrevem e defendem sem qualquer compromisso com a verdade,qualquer pessoa submissa também o faz!

Mesmo após a greve ter sido declarada como “ilegal” o que depende de ponto de vista, pois por quem ela foi declarada ilegal? Por um senhor cuja função até onde eu sei exige apenas um bacharelado em Direito, Mestrado exagero! Muito menos um doutorado ou mesmo um p.h.d, loucura tanto esforço, conseqüência decisão precipitada e não bem fundamentada sob a ótica dos professores, mas óbvio que os argumentos do governo do estado “sempre” tentam se sobrepor aos dos educadores e dos servidores da saúde! Pessoas estão morrendo nos hospitais, os estudantes cada vez menos se esforçam, por conta da política do Estado, e com o que Eduardo Campos está preocupado? Em reter ou mesmo zerar os salários dos servidores! Isso é mais importante! Não podemos se quer requerer nossos direitos!

É muita incoerência financeira nos dados divulgados pelo governo do estado, dentre ele destacam-se:

§ O bônus de R$ 2.300,00 “oferecido” aos professores para compra dos notebooks, quando no mercado os equipamentos não ultrapassam R$ 1.500,00!

§ O bônus de desenvolvimento educacional divulgado, em que os critérios utilizados não são claros, pois muitas escolas se quer avançaram 1%, como em outros casos avançaram 100% (o que matematicamente) é quase impossível uma probabilidade de um evento ter chance 100% de ocorrência;

§ Divulgação de pagamento do 14º salário pata os professores, o que não ocorreu para todos e ninguém até então!

§ Falta de Material básico nas escolas como: piloto, papel, material para os professores de artes, ....

§ Divulgação no diário oficial de que o salário de um professor com 200h é de R$ 2.000,00, de onde veio isso? No meu contra-cheque pelo menos não consta!

Como o governo responderá a todos esses pontos? Pouco a pouco, esse começa a ser pressionado a mais esclarecimento a população. Na última sexta-feira (10 de julho de 2009) era o dia de prestação de contas do que foi feito com o dinheiro do FUNDEB, e o que o governo fez, adiou a prestação, via e-mail, mas por quê? Não! Não! Que ingenuidade a minha, eles têm mais o que fazer!

Qual foi uma das estratégias utilizadas por Eduardo Campos de forma a contornar a situação? Vai processar o governo federal em busca de mais recursos para a educação em PE, pois é! Mais dinheiro! O documento (petição) pede a revisão do cálculo do Salário-educação, que hoje beneficia estados mais industrializados, a exemplo de São Paulo, em detrimento de outros como Pernambuco.

O senhor Eduardo Campos, divulgou que pretende ainda entrar com a ADIN (ação direta de inconstitucionalidade) dentro de 10 dias, caso o ministério da Fazenda não acate o pedido administrativo feito. Seriam esses recursos para pagar dignamente os professores? Mas a verba para isso não provém de recursos do FUNDEB?

Pergunto a vocês onde está Danilo Cabral? Adivinhem? Nos campos Elíseos, lugar destinado somente as pessoas escolhidas pelos Deuses, um lugar onde não há ódio, sofrimento, nem tão pouco qualquer tipo de sentimento ou frustração humana, tudo isso para que? Não desgastar a imagem do senhor secretário, nem tão pouco suas energias, visto que as eleições de 2010 se aproxima. Não! Não! Que ingenuidade a minha!

Muito bonito, mesmo após a greve ter sido considerada como “ilegal” a quantidade de funcionários públicos indignados que compareceram na rua na última sexta-feira (10 de julho de 2009) protestando e pedindo apoio da população contra esse governo fascista, isso mesmo vamos observar até onde o governo vai resistir, e vamos continuar exigindo melhores condições de trabalho! E a propósito por que o legislativo e o judiciário se comporta de forma tão submissa ao governo? Onde está Teresa Leitão? Os esquerdistas: João Paulo e Luciana Santos? Acho que rumo aos Elíseos! Não! Não! Que ingenuidade a minha! Afinal, 2010 está chegando, não é?

Segundo a ótica desse governo o que resta aos professores? Lamentar e se frustrar ainda mais perante o muro das lamentações, mas o que é mesmo o muro das lamentações? Corresponde a barreira (Criada por Hades(Deus do submundo), popularmente conhecido como inferno) que separa o inferno dos campos Elíseos(Destino apenas permitido aos Deuses ou aos escolhidos por tais), traduzindo de outra maneira, o que poderia ser esse muro para os professores?
A escola! Mas especificamente, a sala dos professores, as salas de aulas ou outros espaços, em que estes se sintam mais a vontade no ambiente escolar para suas lamentações! Mas por quem é protegido esse Muro? Thanatos(Deus da Morte) e Hypnos(Deus do sono), ou seja, pouco a pouco, infelizmente alguns colegas vão dormir na luta e morrerem na crença de se acreditar que muito de bom, pode ainda acontecer em nossas escolas, vão pouco a pouco acreditando e afirmando veemente de que esse desejo é uma utopia! Eu pelo menos acredito e quero continuar acreditando nisso, até por que estudei toda minha vida em escola pública! E o que você acha que vai acontecer com a desilusão e a corrupção?

Adriano Emídio

Pernambuco: bom de FUNDEB, péssimo de salário!

Fizemos um levantamento sobre os repasses do FUNDEB para Pernambuco e organizamos um ranking para comparar a situação de cada estado. Não foi surpresa perceber que Pernambuco não está em uma má posição nesta lista, afinal nosso estado é o 7º colocado. O que o governo precisa fazer, antes de inundar a mídia de informações que iludem a opinião pública, é justificar este mistério: como um estado que está entre os maiores destinatários de verbas para educação consegue pagar o pior salário de professor do Brasil?

[ranking-fundeb-2009-1.jpg]

Fonte: Secretaria do Tesouro Nacional

Uma viagem ao passado...

“O estado de Pernambuco assiste a mais uma greve de trabalhadores em educação. As causas são, basicamente, as mesmas de tantas outras, em vários governos. As pautas têm vários pontos em comum, porque os sucessivos governos também têm comportamentos semelhantes, no trato com a educação: não priorizam; não investem o que este setor estratégico merece; permitem que a maioria da população continue prisioneira da falta de uma educação democrática, pública e de qualidade. (...) Outro aspecto desta política aparece quando os trabalhadores em educação recorrem ao instrumento da greve para conquistar suas reivindicações. A resposta veio na forma de ameaças, dentro de uma postura essencialmente autoritária. (...) Como classificar um governo que considera a greve ilegal, tentando se amparar no argumento da não existência de uma Lei Complementar que regulamente a questão? (...) Manter o fechamento das negociações é dizer, com seu gesto, que a situação continuará a mesma, ou seja, uma educação em crise, onde falta até gás para cozinhar a merenda, causando a deterioração dos alimentos; com profissionais insatisfeitos, déficit de professores e, fundamentalmente, deixando a população submetida a uma educação incapaz de preparar seus filhos para os desafios do mundo moderno”.
.
Estas palavras foram proferidas pelo então deputado estadual petista João Paulo num pronunciamento na Assembleia Legislativa em 27 de abril de 1999, quando os professores estavam em greve durante o governo Jarbas Vasconcelos. Os professores estão em greve novamente enquanto o senhor João Paulo assume o cargo de secretário "de-não-sei-o-que" no governo Eduardo Campo (outro anti-jarbista) para poder fazer campanha eleitoral gozando de prerrogativas de secretário de estado. Como as coisas mudam!
.
PS. Este fragmento de discurso de João Paulo foi publicado no início deste blog, em 2007. Clique aqui para conferir.

PASSADO E PRESENTE, ENTRELAÇADOS PELAS LINHAS DO TEMPO?

O texto abaixo é mais uma colaboração recebida de alguém que vê este blog como um espaço para a manifestação de ideias e divulgação de reflexões sobre a situação da educação em Pernambuco. O autor é o professor Adriano Emídio, que leciona matemática em nossa rede pública estadual. Ficam os nossos agradecimentos e o convite a esta interessante leitura.



PASSADO E PRESENTE, ENTRELAÇADOS PELAS LINHAS DO TEMPO?


Em tempos de acesso facilitado e disseminado a educação, vivemos em nosso estado, em pleno regime de ditadura. Valorizar o educador corresponde a meu entender, fornecer condições mínimas de trabalho, condições mínimas e garantidas por lei de acesso ao material de trabalho que todo professor tem por direito, afinal de contas as verbas liberadas pelo governo federal, não são, dentre várias medidas também destinadas a esse fim? Os 25% da arrecadação do estado destinada a gastos com Educação, segundo o FUNDEB, não deveriam ser mais bem empregados em nosso estado?


Então pergunto para onde vai tanto dinheiro que deveria ser utilizado para melhorar a estrutura pedagógica das escolas? Para a aquisição de notebooks? Assinaturas de jornais? De revistas na área de educação? Para pagamento das despesas nos luxuosos hotéis que servem de sede para as capacitações ou para pagar os contratos temporários? Não! Não! Que ingenuidade a minha!


Os professores de Pernambuco com nível superior são os que recebem o pior salário do Brasil, mas o atual governo insiste em afirmar que paga o piso, que valoriza seus professores, fornecendo-lhes mais de cinqüenta mil capacitações, quando na verdade, esse é um direito garantido pelo estatuto do Magistério e pela LDB, facilita a aquisição de notebooks, afirmando se tratar de uma postura sua, quando na verdade corresponde a uma das muitas ações do Governo Federal.


Fornece assinaturas diárias dos jornais em circulação no estado, quando na verdade outras intenções se escondem por trás desse “simbólico” gesto. Mas o tribunal de contas a poucos dias informou que houve um menor investimento na área de capacitações dos professores de 2007 a 2009, não é contraditório com a propaganda feita pelo governo Eduardo Campos? Quem está falando a verdade?


E a imprensa de nosso estado só, lembra-se das escolas estaduais quando ocorre uma greve? Por que será que não denunciam as verdadeiras condições as quais a maioria das escolas e professores estão submetidos? Que faltam professores, que os concursados aprovados no último concurso não foram nomeados? Como eles agem? Hoje mesmo saiu várias reportagens de outros estados brasileiros que estão adotando esse regime de premiação que só divide a classe, No Rio de Janeiro, por exemplo, o professor que faltar cinco dias consecutivos, mesmo com licença médica, não terá direito ao bônus. Mas o que é isso?


O que estão fazendo com a educação! E o mais absurdo, no distrito federal, já se especula o afastamento dos professores fracos, isso mesmo essa foi à expressão utilizada! Mas eu pergunto e de quem é a culpa, quando os estudantes não demonstram o mínimo interesse nas aulas independente de qual disciplina seja? Dos professores? Do governo federal, municipal ou estadual? Adivinhe qual a é a resposta! Não! Não! Que ingenuidade a minha!É querer demais, não é?


Divulga que garantiu aos alunos kit escolar, merenda nos três turnos (quando se trata de uma das muitas ações efetuadas pelo governo Federal), mas garantir um ambiente de trabalho sadio e obedecendo a padrões mínimos de segurança e estética na maioria da escola, isso ele não garante o que garante é veicular pela imprensa (televisiva e imprensa) de que tudo está bem, e de que a postura, mas sensata dos professores deveria ser vangloriar suas ações, pois ele só está fazendo isso para o nosso bem, mas onde estão os juízes e promotores de Educação do Ministério público, a sociedade que não enxergam isso?


Não enxergam os comandos impostos pelas GRES de que se houver apenas um estudante, em sala, as aulas devem ser dadas normalmente, quando a lei assegura que deve haver pelo menos 51% dos alunos da classe para que a aula seja considerada como de fato dada, o ministério público não enxerga isso? De que apenas chegam às escolas, em excesso macarrão, feijão, pão e ovos? E o governo afirma que manda semanalmente: macarrão, arroz, feijão, carne, frango, leite, biscoito, cereal e iogurte, e o mais absurdo que os alimentos perecíveis, entendem-se como, as verduras e temperos, são vindos do interior toda semana, não sei para que escola? Por que na minha não vejo nada disso, apenas um refinado cardápio, cujo prato principal é ovo! E como fica o índice de colesterol dos estudantes, os nutricionistas que elaboraram esse cardápio não enxergam isso? O ministério público não enxerga isso? Não! Não! Que ingenuidade a minha, eles têm mais o que fazer não é? De quem será a culpa, quanto ao nível de glicose e colesterol desses alunos? Adivinhem a resposta!


Fico um pouco confuso sobre que linha socialista o governo segue? Exclui o direito da categoria de fazer greve por melhores condições de trabalho quando este é um direito assegurado constitucionalmente, não cumpre a lei Federal 11.738 referente ao piso salarial do Magistério, e surpreendentemente em menos de 24 horas após o reinício das aulas, quando de fato a greve começou a atingir os estudantes, um juiz a declara como sendo ilegal, e de os professore estarão submetidos a uma multa, de 20 mil reais diários, caso não voltem ao trabalho, então me pergunto com o salário que recebemos, seria necessário mais de um ano de trabalho para se pagar apenas uma dessas multas diárias, não seria isso ilegal e imoral?


Será que de fato que este Juiz, tem ciência das verdadeiras condições a que estamos submetidos diariamente em nossas escolas? Não! Não! Que ingenuidade a minha! Ele prefere que seja tudo como está! Pois não há nada de errado, logo nada a reclamar, que ingenuidade a minha!


Mas quanto à greve da saúde que ultrapassa mais de trinta dias, também não deveria ser considerada ilegal? Ninguém enxerga isso? Não! Não! Que ingenuidade a minha, enxerga sim! O que ocorre é a seguinte diferença, os profissionais da saúde são unidos em torno de um mesmo ideal, pois os dados estatísticos referentes ao número de homicídios, óbitos, e outros não podem ser maquiados, como o são os da educação!


Os profissionais da saúde não se deixam seduzir pelas atitudes sinuosas e imperativas do Governo do Estado o que ocorre infelizmente com alguns profissionais da Educação que criticam os colegas que se expõem em defender os direitos da categoria, quando as vantagens e ganhos são sempre para todos! Depois reclamam nas salas dos professores, nas salas de aulas, o que não terá efeito político algum, apenas frustrará ainda mais seus estudantes, isso é ser educador, consciente de seu papel na sociedade, formador de opinião?


Mas enquanto isso o próprio governo se equivoca, basta observarmos com atenção os resultados da rede estadual no ENEM (exame nacional do Ensino Médio), da prova Brasil, da prova do SAEB, quer dizer basta submeter esses estudantes a exames externos não elaborados pelo governo estadual que a realidade transparece. Afirma que irá pagar o décimo quarto salário e um bônus de desenvolvimento educacional aos educadores, quando não é a totalidade que tem direito, apenas aqueles que por meios desconhecidos são listados e premiados, isso é política de valorização? Não! Não! Que ingenuidade minha!


Admira-me muito essa atitude de um governador que diz socialista, assim como tendo em sua trajetória a função de professor de História, acredito que a parte referente à ditadura e ao fascismo, tão disseminados e estudados e criticados por muitos historiadores, foram postos de lado, pois o que são trechos em linhas em algumas páginas de livros sobre o tema, comparado com atitudes no dia a dia de nossa sociedade que se diz em pleno século XXI, com posturas ainda do século XX?


E o governo ainda vem falar em democracia, que demagogia! Não estudei quatros em uma das melhores universidades brasileiras (UFPE), e mais dois anos para obtenção de outro diploma de graduação (segunda licenciatura), não me submeti a uma pós-graduação, para passar por isso! Infelizmente é utópico imaginar que a educação nesse país tem solução, muito menos nesse estado, pois sabemos que isso não é verdade, se uma pessoa que se quer cursou um ensino superior conseguiu se tornar presidente, e tornar o país esse carnaval de escândalos de corrupção um após o outro, o que se esperar de um governador com posturas que lembra a ditadura?


Que nomeia para secretário de Educação um senhor que jamais entrou em uma sala de aula, ou nomeia um senhor para ser secretário de administração, onde explicitamente se percebe que o mesmo não tem experiência e maturidade alguma para exercer a função? Eles estão esquecendo a qualidade dos profissionais que estão se formando e o nível destes, basta lembrar o resultado de um dos concursos para professor, em que 97% dos professores foram reprovados, mas por que isso? Por que, todos os professores tiveram de se submeter a um exame com 80 problemas, fora o tempo destinado a marcação do gabarito, são os professores incapazes? Óbvio que não! A intenção de desmoralizar a classe já não é segredo para ninguém, pois feito isso, comprova-se de que a exigência do Ministério publico quanto a realização de um concurso foi cumprida, apenas eles que não tem capacidade, vamos então contratar professores temporários, pois são mais capazes! Não! Não! Que ingenuidade a minha!


Mas, por que, tanta exigência na seleção de um concurso? Lecionar-se-emos para estudantes, em sua maioria, que não estão tão preocupados com o que vão aprender, pois a vaga no ensino superior seja em uma instituição pública ou privada, pouco a pouco, está sendo garantida, basta ser estudante de qualquer escola pública, para se inscrever no PROUNI ou mesmo apelar para o sistema de cotas. Não! Não! Que ingenuidade a minha!


Na ótica do Governo é indispensável, a contratação de profissionais mais qualificados e comprometidos com os problemas educacionais do nosso estado e como o Governo demonstra isso, se comportando de forma semelhante, carbonada a do governo passado! Impondo, perseguindo, assediando-os moralmente, e atribuindo-lhes funções que são de competência dos secretários escolares, dos técnicos, assim como dos educadores de apoio, todos componentes em extinção em boa parte das escolas. O ministério público não enxerga isso? Não enxerga que cada vez menos se formam professores, os que persistem na verdade tem compromisso social? Cada vez menos os cursos de licenciatura são almejados? Não! Não! Que ingenuidade a minha!


Por fim, que imagem o governo tenta passar a população com aquele jovem pardo, sempre com camisa pólo, com trejeito de pessoa humilde, versando aquelas frases feitas ou mesmo parodiadas, apresentando, ou mesmo prestando contas a população, quanto as “melhorias” do governo do estado? Não seria outra senão a do populismo! Mas o que é mesmo populismo? Populismo é uma forma de governar em que o governante utiliza de vários recursos para obter apoio popular. O populista utiliza uma linguagem simples e popular, usa e abusa da propaganda pessoal, afirma não ser igual aos outros políticos, toma medidas autoritárias, não respeita os partidos políticos e instituições democráticas, sindicatos dos trabalhadores, diz que é capaz de resolver todos os problemas e possui um comportamento bem carismático. Alguma dúvida quanto a semelhança com o governo de Eduardo Campos?


Mas quais as medidas socialistas, democráticas e pedagógicas adotadas pelo Governador para a solução de todos esses problemas? Não respeitar o direito dos trabalhadores, não respeitar a lei federal 11.738 referente ao piso salarial do magistério, submeter os professores a fiscalização por técnicos com cronômetros, tirando fotos a cada intervalo de cinco minutos, sob orientação do banco mundial, mas se eu não estou enganado, foram privatizadas o setor de telefonia e de energia de Pernambuco, mas a educação também? Não! Não! Que ingenuidade a minha! Mas o mais incrível é que a justiça estadual não enxerga isso! Que estado é esse? Não! Não! Que ingenuidade a minha! Eu devo estar sonhando, espero que logo, logo, eu acorde!


Acordei! Nossa estou no tempo da ditadura? Mas eu não estou no século XXI? Mas especificamente em 2009? Nossa que confusão, acho que sonhei e estudei ditadura e fascismo demais antes de dormir, mas o que não posso esquecer é de que passado e presente estão sempre entrelaçados pelas linhas do espaço tempo de Einstein, e isso se estende as atitudes e comportamentos humanos.

Assembleia e Calendário de Mobilizações

Hoje (27 de julho) após Assembleia realizada às 14 horas na quadra do IEP, em que os trabalhadores em educaçao de Estado (PE) decidiram pela continuidade da greve, a comissão de negociação dirigiu-se em passeata juntamente com representantes do setor jurídico do SINTEPE, ao Tribunal de Justiça de Pernambuco e protocolou recurso visando a nulidade da ilegalidade da greve.
A partir de então, o desembargador, que receberá o documento terá setenta e duas horas para aceitar ou rejeitar o recurso que foi impetrado.
Na Assembleia foi tirado também o calendário de mobilzações, assim, dia 28 às 14 horas, reunião na sede do Sintepe para organizar a caravana que partirá para o interior do Estado.
Dia 29 (quarta-feira) às 8h, sairá a caravana com destino à Triunfo onde acontece a 51ª Festa do Estudante, evento promovido pelo governo do Estado através da FUNDARPE.
Na saída de Recife, os trabalhadores em educação farão um ato público e repetirão à atividade nas regionais que localizam-se no roteiro até Triunfo.
Os interessados em participar da caravana deverão dirigir-se ao SINTEPE, pois, a partir do quantitativo que for confirmado, será disponibilizado o total de ônibus.

SINTEPE: 2127-8863
2127-8866
albeniass@yahoo.com.br

sábado, 25 de julho de 2009

Diante da crise o governo agracia "aliados"?


Nesta semana o governador Eduardo Campos nomeou como secretários a ex-prefeita de Olinda Luciana Santos, do PcdoB e o ex-prefeito de Recife João Paulo, do PT .


Nesta tentativa de consolidar alianças para o pleito de 2010, o governo de Pernambuco permanece mantendo a habitual postura do não diálogo com as categorias que prestam serviços indispensáveis à população de nosso estado, como a educação, por exemplo.


Em seus discursos o governador se admitiu ser de "esquerda" socialista até a alma. Diante do fato do mesmo se colocar de forma tão "generosa" para com seus aliados, poderíamos sugerir para todos os políticos que se dizem de esquerda que intermediem o diálogo da educação com o governo, afinal é inegável o caos que vivemos, assim como é inegável o vínculo das esquerdas com boa parte dos sindicatos, o SINTEPE não é exceção. Nossas solicitações são mais que justas, melhor são cobranças às promessas feitas e ainda não cumpridas pelo governo.


Diante do exposto nós pedimos:

Teresa Leitão se manifeste!!!

Paulo Rubem se manifeste!!!

João Paulo se manifeste!!!

Luciana Santos se manifeste!!!

Todos vcs de esquerda se manifestem!!!
Fazeis com que a união da Pomba com folha na boca(PSB) com a estrela fulgurante(PT) mais o martelo com a foice(PCdo B) resulte em algo positivo para o coletivo e não apenas culmine com o alcance de metas e interesses pessoais.
Lembrem-se vocês estarão discutindo com o destino da maior categoria de nosso estado, a EDUCAÇÃO.

Greve dos professores do Estado de Pernambuco e os elevados índices de violência do Estado

O texto abaixo foi cordialmente enviado pelo professor Gildemarks Costa e Silva, que é doutor em educação pela UNICAMP e leciona na UFPE. Nós agradecemos a colaboração e recomendamos visitas ao blog editado pelo professor Gildemarks: http://paralelas-recife.blogspot.com/
.
Greve dos professores do Estado de Pernambuco
e os elevados índices de violência do Estado
Por Gildemarks Costa e Silva
.
Na abertura da I Conferência Estadual de Segurança, o Governador Eduardo Campos foi confrontado com protesto dos professores estaduais que estão em Greve por melhores salários. Curiosamente, o Governo que procura alternativas para a redução dos alarmantes índices de violência do Estado de Pernambuco esquece que a condição de professores com salários deploráveis se constitui em um estímulo ao aluno a não acreditar nas promessas de melhoria social por meio da escola e, em alguns casos, se voltar para "os mundos da criminalidade".
.
Como há controvérsias públicas sobre o valor do salário dos professores em Pernambuco (sindicato/Governo), o melhor é se concentrar no valor que a imprensa divulgou (mês de julho/09) para a contratação de professores temporários, pois isso é um indicador de como o Governo do Estado vê esse profissional. O salário divulgado é de R$ 618,00 para um professor com 150hs/aula. Ora, não precisa ser economista para perceber que viver com tal salário, principalmente se o professor tiver filhos, implicará uma vida com acesso restrito a determinados bens de consumo. Se o professor conseguir alimentar sua família com dignidade com R$ 618,00 já é muito, nem pense em plano de saúde, carro, residência confortável, compra de livros, viagens culturais etc.
.
Pois bem, a existência de um profissional com baixos salários mina a própria crença de que estudar permite acesso a uma vida melhor. Sabe-se que entre as principais motivações para se frequentar a escola está a promessa de que após anos de estudos se consegue uma vida melhor. A escola exige do aluno esforço, disciplina; ela exige isso com o discurso de que tal esforço um dia será recompensado com a melhoria na qualidade de vida; a escola na modernidade se baseia, em muito, no anúncio que um dia o estudo irá permitir bons salários, mudança de classe social etc. Como é que o aluno irá acreditar que um dia será alguém por meio da escola se ele sabe que o professor tem baixos salários, se o professor usa o mesmo ônibus superlotado, se está na mesma fila do posto de saúde pública dos alunos mais pobres, se é um profissional que sequer está em condições de dar vida digna para sua família, isso após anos de dedicação aos estudos? Não é à toa, então, que, cada vez mais, jovens pobres se coloquem a questão: "estudar para quê"?
.
Ora, ao não ter uma resposta com sentido para essa questão, é possível que muitos desistam de estudar e, em alguns casos, possam até escolher outros caminhos (como o da criminalidade) que, talvez, tenham (na visão deles) muito mais sentido. Assim, o Governador Eduardo Campos talvez tenha perdido uma boa oportunidade de anunciar na abertura da I Conferência Estadual de Segurança Pública uma alternativa consistente para diminuir os alarmantes índices de violência do Estado de Pernambuco: fazer a instituição escolar ganhar sentido para todos, especialmente para os mais pobres. Para isso, sem dúvida, um primeiro passo é ter um professor com salário digno.

Campanha do SINTEPE - versões em áudio

É preciso reconhecer que o SINTEPE está realizando uma ótima campanha audiovisual (embora, num momento posterior, precisemos também debater até este acerto). Abaixo estão as versões da campanha em áudio (que adaptamos para publicação no Youtube).
.

Dudu quer construir uma usina nuclear em Pernambuco!

Maquete virtual da usina que Eduardo Campos quer construir em Pernambuco
.
Quase ninguém notou, mas esta notinha abaixo foi publicada na revista Época (edição 581, do último 5 de julho):
.
Um sonho atômico
.
O que foi um pesadelo dos ambientalistas é o novo sonho do governo pernambucano: abrigar uma futura usina nuclear. Segundo a Agência de Desnvolvimento Ecoômico do Estado, a instalação só traria vantagens, Além de gerar energia, ela atrairia investimentos e criaria empregos. Os ambientalistas já protestaram contra o projeto do governo.
.
Ora, um governo que paga o pior salário do Brasil para um professor, dentre tantas outras demonstrações de descaso social, não poderia estar sendo sério ao apresentar uma proposta tão estapafúrdia quanto esta! Mas será mesmo que dá para esperar algo sensato por parte do governo Eduardo Campos?
.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

DEZ PERGUNTAS PERTINENTES À GREVE DA CATEGORIA

1° Quando é que o governador ou os seus secretários (SEDUC e SARE) vão abrir um canal de negociação para discutir as reivindicações dos educadores ?

2° Como explicar que Teresa Leitão, sendo deputada da base aliada do governo, ainda não conseguiu estabelecer uma ponte entre os professores e o Palácio ? Seria sinal de serviência ao governo estabelecido ou de pura incompetência mesmo ?

3° Por que a cada Assembléia "chove" políticos do PT (Teresa Leitão, Paulo Rubem Santiago) ? Esse pessoal passou três anos na Assembléia Legislativa em favor de quem ? Dos trabalhadores, do partido ao qual pertencem, ou a favor de Eduardo e seus asseclas ? (quem sabe na próxima não tenhamos a ilustre presença de Isaltino Nascimento, aquele do projeto de mega aumento para os fazendários).

4° O que vai acontecer após o dia 5 de agosto quando os professores sentirem na pele, ou melhor, no bolso, os efeitos das medidas arbitrárias e retaliatórias de Dudu e Dada (Eduardo e Danilo) ?

5° Por que o secretário de Educação não bota a cara nem pra bater foto pros jornais babões do Governo ? Aliás, ganha um doce quem achar o paradeiro de Danilo Cabral após a deflagação da greve na Educação.

6° Se vão mesmo descontar os dias parados, então eu vou ser obrigado a repor as aulas após o fim (só Deus sabe quando) da greve ?

7° Por que o Governo insiste em dizer que havia um suposto acordo entre ele e o SINTEPE sobre a política salarial desde o ano passado ? Afinal, quem está com a verdade nesta estória ? Ou será que alguém traiu alguém e a gente tá por fora dessas armações ilimitadas ?

8° Por que política sindical está sempre atrelada a política partidária, ou será que esse pessoal só pensa em sindicatos como trampolins políticos-eleitoreiros ?

9° Como vai ser o calendário de reposição das aulas após a greve ? Será que vai ser igual ao de 2007 quando a gente foi obrigado a dar 6 aulas diárias com meia hora de intervalo entre um turno e outro, fora as aulas aos sábados ?

10° VOCÊ, PROFESSOR, pisado, humilhado, enganado, explorado, iludido, maltratado, ferido em seus princípios, massacrado pelo sistema (cadernetas "burrocráticas", fiscalização intensa, cobranças e mais cobranças) vai ter CORAGEM ou CARA-DE-PAU de votar em EDUARDO CAMPOS, DANILO CABRAL, TERESA LEITÃO nas próximas eleições ? Se tiver, me avise, pois o mundo pode mesmo estar perto de acabar em 2012 como dizem...

José Ricardo de Souza

* historiador, professor, escritor; membro da Academia de Letras e Artes da Cidade do Paulista.

Onde está Bin Laden? Onde está Danilo?

[danilo-e-bin-laden.jpg]

O desabafo de Eduardo Campos. Sobrou até para a mídia

Governador aproveita encontro sobre segurança para fazer autoelogios, cobrar “reconhecimento” pelo que já fez e bater no “modelo neoliberal”
.
Cecília Ramos, no caderno de política
Publicado no Blog de Jamildo (original aqui)
.
Com dedo em riste, gesticulando sem parar, misturando assuntos e com tom de voz elevado e fora do habitual, o governador Eduardo Campos (PSB) aproveitou a 1ª Conferência Estadual de Segurança Pública de Pernambuco, ontem à noite, em auditório do Centro de Convenções, para passar dois anos e seis meses de seu governo a limpo. Candidato à reeleição, deu uma mostra do que pode estar reservando para 2010. Em muitos momentos de autoelogios, fez comparações com antecessores e afirmou que “precisam reconhecer” o que sua gestão tem feito, especialmente no combate à criminalidade em Pernambuco, um dos Estados mais violentos do País. Entretanto, o Estado completou seis meses seguidos de queda na violência.
.
No mesmo discurso, Eduardo criticou a “esquerda”, campo em que se coloca inserido. Em síntese, culpou o “modelo neoliberal” – doutrina econômica que prega liberdade de mercado e pouca intervenção estatal - por boa parte dos males da Terra e, agora, pela crise econômica mundial. O termo neoliberal é associado à Era Fernando Henrique Cardoso (PSDB), antecessor do presidente Lula (PT). “Esse debate (sobre o pós-crise) está interditado na esquerda, no movimento social e precisa reacender”, criticou.
.
Apenas nesse momento Eduardo fez uma vaga referência aos servidores grevistas da Educação, que promoveram apitaço do lado de fora do auditório. O governador colocou que o debate não deve ser sobre campanha salarial, “que 10% ou 15% parou”, mas sobre o modelo econômico que o movimento social precisa ajudar a construir e que não deve ser feito “pela cabeça da elite”. Aliás, a esse segmento, ele reservou severas críticas. “Peitei a elite de Pernambuco, setores reacionários que pensavam que combater a violência é botar polícia na porta dos que lutam por terra”. E prometeu fazer da política pública para a segurança uma referência para o Brasil, com o “capital político” que os eleitores lhe conferiram. “Esse esforço, que não é só do meu governo, é do povo, terá que ser reconhecido”.
.
Eduardo desabafou ao afirmar que “a mídia lá fora e a nacional” reconhecem os seus feitos. Antes dele discursar, o presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchoa (PDT), dedicou toda sua longa fala a enumerar ações do governo. Em entrevista, o governador insistiu que “os partidos” precisam fazer um debate “consistente” do pós-crise ao invés de discutir 2010. “Tudo bem. Esse debate não vende jornal, não dá manchete, mas é o que me cabe fazer. Eu não fiz da minha vida uma busca de um lide (texto de abertura de uma reportagem) ou de uma manchete”.

1 hospital por ano?

Lembram disso?
.



.
Cadê os hospitais? Antecipamos informações sobre o projeto do principal novo hospital da gestão Eduardo Campos: o Hospital Dr. Fritz. Trata-se de uma unidade hospitalar que funcionará dentro dos padrões do governo, ou seja, sem médicos, sem equipe de enfermagem e sem material para os procedimentos. Em um hospital fantasma os atendimentos serão espirituais e, portanto, a população pode ficar sossegada, pois o Hospital Dr. Fritz não será afetado por greves, pois os espíritos não precisam reivindicar direitos e não passam por dificuldades humanas. Este é um retrato do compromisso do governo Eduardo Campos com a saúde do povo pernambucano, que não esqueceu da promessa de construção de 1 hospital por ano!
.


Assessoria Especial - Joseph Stalin


.
Mais do que um assessor, Stalin é o guru, o "personal trainer" de política do governador. O "mestre" (como ele é reverencialmete chamado pelos integrantes do alto comando do governo) é consultado antes de qualquer ação do governador e oferece suas orientações sobre qualquer assunto. Os resultados do trabalho de Stalin são fáceis de perceber, afinal, o governador está agindo tal qual o seu experiente assessor, adquirindo caracteríticas que foram famosas na atuação de Stalin: autoritarismo radical e indiscutível, apelo para a propaganda como forma de forjar uma imagem de grande governante e culto à personalidade.

Assessoria Especial - Mister M

.
O famoso ilusionista enfrenta o seu maior desafio na Secretaria de Educação. Além de elaborar truques para iludir o respeitável público sobre as ações da secretaria, o mágico precisa recorrer aos mais profundos e engenhosos mecanismos ilusórios para fazer com que Danilo Cabral pareça entender de educação. Mister M ainda não conseguiu acertar sua tarefa!

Assessoria Especial - Pinóquio

Um profissional acima de qualquer suspeita, Pinóquio é o principal assessor de comunicação da gestão Eduardo Campos. Ele emite os informes e dados oficiais que são publicados na imprensa que é cliente do governo - isto é, quase todos veículos de imprensa escrita e televisiva de Pernambuco.

Assessoria Especial - Michael Jackson

.
Michael Jackson é novo na equipe. O ex-astro da música pop foi capaz de forjar sua própria morte para viver numa verdadeira Neverland ("Terra do Nunca") e tem passado horas agradáveis no Palácio do Campo das Princesas, que é um universo paralelo distante da realidade e dos problemas das pessoas comuns. Michael sente-se em casa por lá!

Assessoria Especial - C3-PO


.
Famoso por sua atrapalhada atuação em aventuras espaciais, o andróide agora desempenha seu trabalho na Secretaria de Educação. Faz parte de seu projeto a mecanização dos professores, o que está sendo colocado em ação através da intensiva prática do manejo das cadernetas. Seu objetivo também visa o controle das ações dos professores nas salas de aula e, para isso, planeja até mesmo cronometrar o tempo gasto na rotina de trabalho diária dos mestres. Ele chefia uma poderosa equipe formada por fiscais, fiscais de fiscais e, claro, supervisores de fiscais de fiscais.

Assessoria Especial - Homer Simpson

.
Homer Simpson tornou-se famoso por sua (baixa) capacidade intelectual. Ele atua na Secretaria de Educação elaborando planos e ideias geniais para elevar a qualidade educacional pernambucana. Ele criou, por exemplo, uma matriz curricular desconectada das necessidades do Ensino Médio e que não consegue dar conta da preparação dos alunos para o ingresso nas universidades. Atribuem a ele a genial distribuição das cargas-horárias de disciplinas como Filosofia (oferecida apenas no 2º ano) e Sociologia (oferecida apenas no 3º ano).

Assessoria Especial - Jack, o Estripador

.
O renomado "serial killer" inglês faz parte da equipe de governo desempenhando sua perícia no manejo de lâminas e instrumentos cortantes em geral. Emprega sua arte na Secretaria de Administração planejando cortes nas folhas de pagamentos, retalhando categorias de servidores públicos e esquartejando negociações salariais. É uma das figuras mais poderosas da SAD.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Prêmio para Eduardo

Quando se trata de educação Pernambuco aparece nos patamares mais baixos do ranking nacional mesmo assim, o governador Eduardo Campos recebe no Rio Grande do Sul o prêmio de gestor público pelo reconhecimento da política desenvolvida no Estado. Pernambuco apresenta índices alarmantes de criminalidade, o Pacto Pela Vida, não provocou sequer um mínimo de tranquilidade à população, vivemos assustados dentro ou fora de nossas casas, o sistema de saúde pública é um verdadeiros caos, pessoas ainda continuam morrendo em filas por falta de atendimento, a favelização dos espaços prolifera-se em escala abundante. Mesmo assim, o governo é considerado um excelente gestor público. Várias setores do serviço público fizeram greve no início da gestão de Eduardo Campos, atualmente o quadro se repete e, o governo de forma intransigente nega-se a atender as reivindicações das categorias , ainda assim, o governador é considreado um excelente gestor público. E a "Medalha Pessoa Física" do prêmio Qualidade RS foi entregue pela Gerdau. Coincidência, logo a Gerdau um dos maiores grupos empresariais do setor de aço e que é parceiro do governo federal em programas educacionais a exemplo, o PDE. No Brasil quem comanda a educação são as empresas e instituições privadas (O Instituto Airton Senna, a Fundação Roberto Marinho, a INDG e tantas outras), não é à toa o clima de competitividade que observa-se na educação e em outras áreas do serviço público. Precisa-se produzir sob intensa fiscalização, cumprir metas, ser recompesado e, nada questionar. Os Centros de Referências, verdadeiras ilhas de exclusão e as Telessalas são outros bons exemplos de programas mantidos em parte pela iniciativa privada e que vem dividindo a categoria dos trabalhadores em educação. E o que fazem os governos? Omitem-se de maneira escandalosa do seu papel, entregam a educação pública nas mãos da iniciativa privada mantendo em alta o mercado educacional no país. Justifica-se assim, a premiação do sr. Eduardo Campos.

( Recomendo: http://historiablog.wordpress.com/)

Fã Clube do Dudu - Drácula

[fanclube-dracula.jpg]

Resistir sempre!


Vamos em frente companheiros!Devemos buscar forças para superar todas as dificuldades impostas pelo governo. Juntos e unidos derrubaremos esses lacaios que tentam massacrar os professores.

Fã Clube do Dudu - Pinóquio

[fanclube-pinoquio.jpg]

Secretário de Administração diz que poucos professores estão em greve

Clique aqui para ouvir o falatório do secretário.
.
O secretário chega a firmar que os pontos cortados serão mantidos mesmo após o retorno ao trabalho e que os recursos para remunarar os professores temporários serão obtidos do montante "poupado" pelos cortes de ponto dos grevistas. Mas, ao afirmar que os temporários serão mantidos mesmo após o retorno dos grevistas, o secretário não diz de onde virão os recursos para continuar pagando tais salários. Dá para endender?
.
Paulo Câmara diz ainda que não entende porque os servidores do Detran estão em greve, já que recebem os melhores salários entre os Detrans do país... mas será que ele entende que os professores de Pernambuco recebem os piores salários do Brasil?

Fã Clube do Dudu - Yeda Crusius

[fanclube-yeda.jpg]

terça-feira, 21 de julho de 2009

O que o governo Eduardo Campos não mostra em sua publicidade

[tabelasalarios.jpg]

* Nota: se condideramos descontos como vale-transporte, FUNAFIN e SASSEPE (apenas do titular), o salário líquido de um professor pernabucano cai para R$ 716,00. Os valores indicados acima referem-se aos professores com formação superior.


A tebela acima indica que Pernambuco continua tendo a rede pública estadual que oferece a pior remuneração em todo o país para os professores - exatamente a mesma posição ocupada durante o pestilento governo Jarbas Vasconcelos/Mendonça Filho . Quando em campanha para o governo, o então candidato Eduardo Campos afirmava que a última posição ocupada por Pernambuco era uma vergonha e que iria fazer com que a situação fosse superada. Até o momento, ainda aguardamos a saída do fim da fila salarial...
.
Este levantamento acima também serve para ilustrar algo importante: a falaciosa afirmação de que o governo valorizou os professores através de política salarial. Pode-se constatar que pagar o pior salário do Brasil não é valorizar a categoria, mas a publicidade governista e a falta de interesse da imprensa local em investigar as informações palacianas acabam iludindo a população através de dados falaciosos ou simplesmente mentirosos.


[corrida.jpg]


Para recordar, confiram uma postagem feita aqui em outubro de 2007 (antes, portanto, do governo inventar que resolveu a situação salarial dos professores de Pernambuco) e notem que nada mudou: clique aqui.

A GREVE CONTINUA!

segunda-feira, 20 de julho de 2009

O que fazer em relação a esta greve?



O que fazer em relação a esta greve?

Encerrar, pois há esvaziamento e falta de perspectiva de êxito

Continuar, pois o governo vai ceder

Encerrar a paralisação e manter o estado de greve até a negociação de outubro

Adotar outras opções de protestos discutidos pela catagoria

Não sei









sábado, 18 de julho de 2009

Neverland pernambucana

[neverlandpernambuco.jpg]

A Rede Globo...

POSTADO ÀS 16:47 EM 15 DE JULHO DE 2009SINTEPE -

Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco Regional Sertão do São FranciscoEm Assembléia dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco, realizada no dia 14 de julho de 2009, convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco - SINTEPE, no Centro Diocesano de Petrolina-PE, foi discutida e aprovada a seguinte MOÇÃO DE REPÚDIO à TV GRANDE RIO, emissora afiliada à Rede Globo de Televisão.
MOÇÃO DE REPÚDIO À TV GRANDE RIO.
Os Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco, em greve por melhores condições de trabalho e pelo cumprimento do Piso Salarial Nacional, vem a público REPUDIAR as atitudes antidemocráticas praticadas pelo Departamento de Jornalismo da TV Grande Rio Petrolina que, durante a cobertura dos atos de greve, NÃO divulga imagem e entrevistas da coordenadora Regional do SINTEPE, vereadora Cristina Costa (PT).Os repórteres da TV Grande Rio rejeitam a vereadora Cristina Costa, coordenadora regional do SINTEPE e, portanto, representante legítima da categoria, como a porta-voz do movimento para conceder entrevistas à emissora. Os repórteres, estranhamente, argumentam CUMPRIR ORDENS PARA NÃO ENTREVISTAR a líder sindical, por a mesma ser parlamentar.É sabido que durante toda a greve a imprensa local e regional, inclusive a TV São Francisco (Juazeiro-BA), também afiliada a Rede Globo, tem feito uma cobertura profissional e isenta, ouvindo, como de praxe, as declarações e informações da vereadora Cristina Costa, líder do movimento na região.Nada justifica o comportamento anti-profissional e acima de tudo antidemocrática da TV Grande Rio, que, ao vetar em sua programação as lideranças sindicais, não cumpre com o dever básico de manter bem informados os seus telespectadores.Com esta prática, a TV Grande Rio opta por fazer um mau jornalismo, sem qualquer compromisso com a democracia, distanciando-se, inclusive, do padrão global de qualidade.Pelos motivos acima expostos, o movimento grevista dos trabalhadores em Educação do Sertão do São Francisco decide não mais conceder entrevistas ou informações da greve à referida Emissora, até que a mesma se retrate e faça o trabalho jornalístico com ética e imparcialidade.
Petrolina, 14 de julho de 2009.

(Ao colaborador anônimo que postou o texto em forma de comentário, muitíssimo obrigada.Albênia)

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Chantagem

Governo anuncia que grevistas da Educação só recebem bônus em agosto e se voltarem ao trabalho


O Bônus de Desempenho Educacional (BDE), criado pelo Governo do Estado para beneficiar os servidores das escolas que melhorarem seus indicadores educacionais, será pago no dia 29, junto ao salário de julho.

No entanto, os servidores das unidades de ensino que aderiram à greve vão precisar voltar ao trabalho até o dia 22 deste mês e atestar o retorno às atividades em termo de compromisso.

Quem voltar ao trabalho receberá o BDE no dia 05 de agosto - data definida pela Secretaria de Administração para o pagamento do salário de julho dos grevistas. Hoje, em todo o Estado existem 19 escolas totalmente paralisadas e 193 em funcionamento parcial, do total de 1.105 unidades. Dos 40 mil profissionais localizados nas escolas, 3.493 tiveram seus pontos cortados por terem aderido ao movimento.

Ao todo, 18.570 servidores de 477 escolas vão receber o BDE. Desses, 16.372 são professores.

Segundo a secretaria de Educação, 1.513 profissionais não receberão o bônus no dia 29 por estarem na relação dos grevistas. A Lei Estadual 13.486/08, que regulamenta o BDE, permite que o Estado efetue o pagamento da premiação até o final do quadrimestre seguinte ao da publicação dos resultados. Como o anúncio foi feito no final de maio, o Governo teria até o final do ano para pagar o benefício, mas resolveu antecipar.

Das 1.105 escolas estaduais, 923 unidades foram avaliadas e concorreram ao bônus. O valor do prêmio tem como base o salário de início de carreira do servidor e será pago proporcional ao desempenho conquistado pela unidade de ensino em relação ao cumprimento de sua meta. Recebem o BDE, todos os trabalhadores da Educação das escolas que alcançaram a partir de 50% da meta. Das 477 unidades, cujos servidores vão receber o incentivo, 233 alcançaram 100% da meta e o BDE será pago integral.

As outras 244, cumpriram um intervalo percentual de 50% a 99% da sua meta. Os valores do benefício vão de R$ 246,00 a R$ 2.300,00, podendo um mesmo professor receber dois bônus, caso tenha dois vínculos e trabalhe em duas escolas que tiverem conquistado a meta. Foram reservados R$ 28,8 milhões para o pagamento do Bônus de Desempenho Educacional.

A Secretaria de Educação destaca que apesar do bônus não ter atingido todos os servidores, os números foram muito positivos, já que das 923 escolas avaliadas, 782 conseguiram apresentar algum acréscimo nos seus índices educacionais. Apenas 141 escolas não apresentaram melhora alguma.

As metas são individuais e foram pactuadas entre gestão escolar e secretaria de Educação, ano passado. O ponto de partida foi a nota da unidade no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) 2005.