terça-feira, 22 de setembro de 2015

SALTO PRA TRÁS

                                                                                    
Um dia tem merenda e não tem merendeira.
No outro, tem merendeira mas, falta a merenda.
Há dias em que,não tem merenda, nem merendeira.
Tem sido assim a rotina nas escolas estaduais em Pernambuco e,
em todas as situações, os alunos acabam perdendo aulas e, indo pra casa mais cedo. É o governador Paulo Câmara (PSB),negligenciando à educação, sonegando ao aluno a garantia dos duzentos dias letivos e o mínimo de 800 horas/aulas, como manda a LDB. E para os que afirmam que, Pernambuco deu um salto em educação, esqueceram de dizer se,esse salto foi para frente ou para trás.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

DÍVIDA

Mais de 50 milhões é a dívida estimada do governo do estado com o SASSEPE. Um absurdo, contribuímos com mais de 70 % dos custos do plano,enquanto o governo participa com menos de 30%. A alíquota de contribuição do servidor e dependentes sofreram reajustes, mas, nenhuma melhoria no atendimento foi observada. As dificuldades para se marcar consultas, permanecem. O Hospital do Servidor (HSE) está sucateado, nem todos os leitos da UTI estão em funcionamento, isto porque , há escassez de mão de obra. Enfermeiros, atendentes e outros profissionais da saúde ao se aposentarem ou afastarem-se do serviço por outros motivos, são substituídos por profissionais terceirizados e, em número inferior ao que a demanda exige. 
O governo Paulo Câmara, assim como seus antecessores, aposta na destruição do sistema de saúde do servidor, usa isso como arma para justificar a terceirização e privatização da saúde no estado. 
É a lógica da quebradeira, quanto pior,melhor.

sábado, 5 de setembro de 2015

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

GOVERNO SEM PALAVRA

Fala de Paulo Câmara, após ser eleito em 2014:
O governador eleito Paulo Câmara (PSB) disse ontem à Rádio CBN que as finanças de Pernambuco estão equilibradas e que as obras não concluídas pelo governador João Lyra Neto serão terminadas em sua gestão...“Tenho plena convicção de que a situação financeira do Estado está equilibrada e que iremos continuar atingindo nossas metas”, disse o governador eleito.
Porém, em janeiro de 2015, negou o reajuste de 13.01% , como manda a Lei do Piso 11.738/08, aos professores da rede estadual de ensino, quando em campanha prometeu dobrar o salário dos docentes.
E como se não bastasse a onda de desmantelo que vem causando no estado em apenas 9 meses de gestão, o governo já sinalizou que, NÃO CONCEDERÁ REAJUSTE AOS SERVIDORES em 2016.